Home » Austrália » Veja o que fazer em Melbourne – A capital cultural da Austrália

Veja o que fazer em Melbourne – A capital cultural da Austrália

No post de hoje vou contar um pouco sobre minha experiência visitando Melbourne, a cidade que mais cresce na Austrália e o principal cenário cultural do país. Um espaço onde modernos museus, parques se misturam com os vibrantes grafites que estão por todo canto.

Foi minha primeira viagem após um bom, já estava ficando maluco, afinal viajar é uma das coisas que eu gosto na vida e considero um dos maiores meios para aprimoração pessoal. E ir para Melborne era algo que eu queria fazer desde que cheguei a Austrália.giphy (6)

Viajar para Melbourne foi UMA EXPERIÊNCIA INCRÍVEL e posso dizer adiantar que 4 dias não são o suficiente para conhecer tudo que está à disposição.

Motivo para ir em uma próxima oportunidade, principalmente para curtir a cidade com mais calma, porque ela merece.

Neste post você irá ler sobre:

  1. Onde ficar em Melbourne
  2. Como se locomover pela cidade
  3. O que fazer em Melbourne (CBD, Great Ocean Road, Praias e mais)

flinder-station
Flinders Station

Onde ficar em Melbourne?

O primeiro passo após comprar as passagens para Melbourne no finalzinho do ano para chegar a cidade no meio de janeiro foi decidir onde se hospedar.

Após, uma pesquisa rápida sobre os hostels da cidade, vi que as principais regiões para se hospedar eram St Kilda, uma das praias de Melbourne, CBD (centro da cidade) e Fitzroy, bairro alternativo da cidade, próximo ao CBD.

Estava realmente em dúvida sobre qual dos 3 eu deveria escolher, mas após perguntar para meus amigos Carol e Laércio, que são residentes da cidade, optei por me hospedar no CBD por fatores de locomoção (já vou explicar) e também por estar mais próximo de diversas coisas que eu queria fazer na cidade.

Dentro do CBD, a grande maioria dos hostels fica localizada no entorno da Flinders Station, ótima localização para visitar os principais pontos da cidade via TRAM.

IMG_20170116_100325354

Como se locomover pela cidade?

ResizedImageWzIwMywxMjdd-New-look-myki_frontA primeira coisa sobre o transporte em Melbourne é obter o Myki Card, o Opal/Bilhete único da cidade. Com ele é possível pegar os transportes da cidade, Trams, Trens e ônibus, e uma coisa excelente é que com o Myki você para no máximo 8,20 por dia.

Os TRAMs são a linha de “bondes elétricos” (aqui já penso nos comentários do pessoal falando que porcaria de nome hein Nilo, mas não consegui nada melhor) que estão por todo lado, principalmente no CBD, são confortáveis e rápidos. A melhor opção para locomoção na cidade.

E a melhor parte, dentro da Free TRAM Zone eles são de graça!

ResizedImageWzYwMCw0MjRd-PTV_Free-Tram-Zone-Map_July-2015

Por isso optei pelo CBD, sabe como é a grana estava (tá) curta.

O que fazer em Melbourne?

Agora vamos as principais atrações da cidade que eu consegui visitar.

CBD

Dentro do CBD há diversos museus, parques, bares, um incrível circuito gastronômico e bastante gente, e como de costume em terras australianas, um mosaico de nacionalidades de toda parte do mundo.

Praticamente impossível andar um quarteirão sem ouvir pelo menos três idiomas diferentes, and I love it.

Outra coisa para quem gosta de grandes metrópoles é a arquitetura em Melbourne, remetendo a Europa clássica em prédios históricos como State Library e igrejas.

state-library-victoria-melbourne
State Library of Victoria

Yarra River

O rio que cruza o CBD de Melbourne é um dos principais pontos da cidade e fica do lado da Flinders Station, pelo menos passa por ali. Ao redor do Rio concentram lojas, bares, restaurantes e artistas de ruas fazendo as mais diversas performances. E as luzes da cidade ficam lindas durante a noite.

Yarra-River-CBD-noite
A minha presença estragou a [email protected][email protected] toda!

yarra-river yarra-river-2

Arte de rua

Se você gosta de arte de rua, Melbourne é o lugar, e bem no coração da cidade você pode encontrar becos com os mais diferentes graffitis que fazem a cabeça dos turistas.

Desde aqueles com câmeras que não param um segundo até os outros que apenas comtemplam a arte e viajam no sentido daquilo tudo. Hosier Lane é fantástico, difícil descrever com palavras, por isso melhor assistir ao vídeo. Há também a Union Lane.

#melbourne #graffiti #travel #tripness #viagem #arte

Uma publicação compartilhada por @instatripness em

arte-pelas-ruas-melbourne arte-pelas-ruas-melbourne-4

Um pouco distante da Flinders St., está o bairro de Fitzroy, principal ponto da cena alternativa da cidade (algo como Baixo Augusta em SP e Newtown em Sydney), lá também é possível encontrar muita coisa linda em termos de graffiti.

Dá uma olhada:

fitzroy-graffiti-melbourne-2 fitzroy-graffiti-melbourne-4

Em Fitzroy também há diversos bares, cafés, restaurantes e lojas carregados de estilos e atitude, com certeza você vai encontrar algo que te agrade. E as ruas contam com pessoas dos mais diversos estilos mostrando grande diversidade.

Museus

Em termos de cultura mais tradicional, Melbourne é um verdadeiro polo, principalmente por causa do Melbourne Museum, um lugar realmente incrível.

melbourne-museum

E o mais legal dos museus em Melbourne é que juntam arte e conceitos tradicionais com tecnologia para criar uma experiência fantástica para seus visitantes. Algo similar no Brasil, só no museu da língua portuguesa só que em maior escala.

museu-da-imigracaoNo museu da imigração, o cenário se repete, a união de história e tecnologia para criar um sentimento imersão aos visitantes. O museu conta a história da imigração para Austrália, sem pudores, passando pelo passado sombrio em relação a cultura aborígene.

Também é possível aprender sobre a imigração branca promovida pelo governo nos séculos passados (sim, o governo apenas aceitava pessoas brancas) para então criar a imagem da Austrália branca e loira que conhecemos.

E finalmente chegando a abertura do país para a entrada de imigrantes no último quarto do século passado. Ato que moldou a Austrália que conhecemos hoje, um dos países mais multiculturais do mundo.

A má notícia para viajantes que gostam de artes é que para ter acessos a estes lugares é necessário pagar, estudantes podem entrar de graça ou com desconto. Nos sites você consegue encontrar o preço atual.

Eureka Tower

melbourne-alto-2A Eureka Tower é o prédio mais alto de Melbourne, e de lá é possível comtemplar a cidade, e ver que apesar de ser uma “cidade grande”, Melbourne conta com muitas áreas verdes no centro da cidade e que a proporção apenas se expande nas regiões mais afastadas.

O preço da Eureka Tower também é um pouco salgado, eu realmente gosto de ver as cidades de cima dos prédios, então para mim valeu muito a pena.

melbourne-do-alto

Baladas

A noite em Melbourne é extremamente agitada com diversas baladas/barzinhos na região central, uma simples pesquisa no Google mostrará diversas opções.

As principais opções no CBD são relacionadas a baladas mais POP/Eletrônico e bares de rock, não tive a oportunidade de explorar muitos lugares dessa vez por que chegava no hostel morrendo após caminhar o dia inteiro.

O Asian Beer Cafe é extremamente agitado e um dos pontos principais na noite na cidade segundo alguns residentes que conheci. O ambiente é bem legal.

Em comparação com Sydney, a segurança dos locais é muito mais relaxada, não há aquela enorme neura com documentos e para saber se as pessoas estão bêbadas, até estranhei quando entrei em um bar e não me pediram o passaporte.

Parques

botanic-garden-melbourne-3Como disse anteriormente, mesmo na região central a presença de áreas verdes é grande, e o principal expoente desse fato é o Jardim Botânico de Melbourne.

O parque é realmente lindo com diversas plantas, lago e gramado, uma opção realmente incrível para relaxar e estar em contato com natureza.

E algo interessante é que a população da cidade parece realmente aproveitar, no momento que estava lá vi várias pessoas que estavam apenas jogando conversa fora por ali. Outros grupos maiores fazendo piqueniques, um clima familiar e descontraído.

botanic-garden-melbourne-2botanic-garden-melbourne

Praias

Isso mesmo, Melbourne tem praia SIM! Muita gente pensa que não tem, inclusive eu pensava o mesmo antes de pesquisar.

St Kilda

st-kilda-4St Kilda é a praia mais famosa da cidade e mais movimentada, como eu fui para lá no meio de verão não era de se esperar menos. MENTIRA! O único dia que realmente fez sol e calor, foi o dia que visitei as praias de Melbourne, outros dias estavam quentes, mas longe de “dar” praia, se dúvida veja minhas fotos na Great Ocean Road mais à frente.

Pois bem, uma vez na vida eu tenho que ser sorte!

A praia é bem gostosa para relaxar com calçadão, uma parte em grama do jeito que eu gosto e tinha um bom número de pessoas para uma quinta-feira.

Logo imagino que aos fins de semana deva ser lotado apesar de não ter aquele número enorme de banhistas que estamos acostumados no Brasil.

A praia conta com churrasqueira e afins que tornam o ambiente propicio para festinhas e reuniões de amigos.

st-kilda-duas

st-kilda

Brighton Beach

brighton-beach-3A praia em si é mais vazia que St Kilda, mas tão bonita quanto. E é um dos pontos obrigatórios para visitantes, pelo menos aqueles que desejam tirar fotos em um dos pontos mais tradicionais na cidade, as famosas casinhas.

Com certeza, é umas das imagens que melhor representa estar na Austrália. Também é normal nas regiões praianas ouvir português, encontrei pelo menos 3 brasileiros em questão de meia hora, ou seja, se estiver com saudades de falar português ou apenas quer conversar com um conterrâneo este é um bom lugar.

Nilo-brighton-beachbrighton-beach-4

brighton-beach-2 brighton-beach

Great Ocean Road

loch-ard-gorge-2A Great Ocean Road, o que falar desse lugar que fui apenas uma vez e já considero pacas.

A Greta Ocean Road é bonita, é bonita pacas, é F*[email protected] Fatos como dia nublado, garoinha chata, 2 horas de estrada, simplesmente ficam em segundo plano ao chegar nos principais pontos da GOR, paisagens de tirar o fôlego, realmente lindas, mesmo com céu nublado.

 

Única reação possível:

giphy surpresied minion

Confere aí:

Twelve Apostles

twelve-apostlestwelve-apostles-2twelve-apostles-3

Loch Ard Gorge

loch-ard-gorge-6 loch-ard-gorge-4 loch-ard-gorge

loch-ard-gorge-3Agora quero ir com sol, o problema, é que Melbourne tem o tempo tão imprevisível quanto São Paulo ou Curitiba para comparar com as cidades brasileiras.

 

 

 

O que faltou?

 

Faltou visitar, Philip Island 🙁giphy (10)

Faltou relaxar mais nas praias, tudo muito corrido em 4 dias.

Faltou ficar mais tempo com os amigos, afinal o pior de viver em outro país é ficar tanto tempo longe das pessoas que você se sente bem, mas faz parte.

Melbourne é uma cidade cheia de energia, incrível, multicultural, e que deve ser visitada uma vez que pise na Austrália, pelo menos na minha opinião, e para aqueles que gostam de cidade, com arquitetura europeia, restaurantes, cultura, não há lugar melhor que Melbourne na Austrália.

Ah quer saber mais sobre Sydney? Dá uma olha no Guia de Sobrevivência em Sydney que eu preparei e no super post de dicas de viagem para Austrália!

Sydney ou Melbourne? Deixo a briga para os comentários! Hahaha

 

Sobre Nilo Luz

Freelancer na área de marketing digital e apaixonado por viajar pelo Brasil e pelo mundo. Entusiasta em nomadismo digital, já morei na Austrália e conheci um canguru, já dei banho nos elefantes resgatados de maus tratos na Taiândia, comi massa e pizza na Itália e bebi vinho do porto em Portugal entre outras coisas durante minhas viagens, mas a mais importante é conhecer um pouco da cultura de cada local e outros viajantes, e aprender no processo.

Comentário

  1. Melborne Melbourne Melbourne! Ótimo post Nilo! Me lembrei de tudo que fiz lá e fiquei ainda mais ansiosa pra morar lá 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *