Home » Europa » Você conhece a Noruega? – Dicas de viagem da Noruega

Você conhece a Noruega? – Dicas de viagem da Noruega

No fim de 2012 foi a primeira vez que eu ouvi um relato maior do que “é um dos países do norte” sobre a Noruega. Na época, meu grande amigo Michel terminava o mestrado e se preparava para concorrer a uma vaga de doutorado em Trondheim, Noruega (Norge, em norueguês). Para mim foi tudo bem rápido e no início de 2013 eu me despedia dele, sem saber que em alguns meses começaria o planejamento da nossa viagem épica.

Em julho daquele ano comprei minhas passagens para mochilar um mês pela Europa, só nós dois, e comecei um planejamento maluco de um roteiro que incluía 8 cidades em 6 países. Existiram, dentre outras aventuras, os clássicos Torre Eiffel, Disneyland Paris, Natal em Bruges, Ano Novo no portão de Brandemburgo e Praga, a joia europeia. Mas, foram os 13 dias que passei no “país do norte” que fizeram eu me apaixonar e querer voltar…e eu voltei! No começo de abril de 2015 estava eu lá, novamente, para adicionar mais duas cidades à minha lista.

Vista da cidade a partir do forte de Trondheim (Kristiansten Festning).
Vista da cidade a partir do forte de Trondheim (Kristiansten Festning).

O primeiro contato

O Reino da Noruega possui uma área de 385.178 km2, composta por uma área continental de 323.779 km2, a ilha de Svalbard situada a leste do norte da Groenlândia (61.022 km2) e a ilha de Jan Mayen (377 km2), situada entre a Islândia e Svalbard. A população total era de 5.109.056 habitantes no início de 2014, uma relação de 17 habitantes por km2 de área territorial. Para você ter uma ideia, no mesmo período, a população estimada apenas para a cidade de São Paulo era de 11.895.893 habitantes, com uma relação de 7.398,26 hab./km2. A capital norueguesa é Oslo, localizada no sul do continente, próximo à fronteira com a Suécia. Mas, na época, eu sabia apenas dessa última informação, então me surpreendi quando desci pela primeira vez do avião, em plena sexta-feira de dezembro, na pista coberta de gelo do pequeno aeroporto (lufthavn) de Trondheim (a terceira maior cidade norueguesa), e encontrei tudo praticamente vazio.

A segunda surpresa, não tão boa, preparada pelas terras geladas foi o preço. A moeda da Noruega é a coroa norueguesa (Norwegian Krone, NOK ou norsk krone em norueguês). A conversão aproximada é que cada Euro equivale a 8 coroas (kroner, no plural). Sendo assim, somos levados a crer que nosso dinheiro vai render mais…errado! O NOK é uma moeda forte, e atualmente estão em circulação moedas de 1, 5, 10 e 20 kroner e notas de 50, 100, 200, 500 e 1000 kroner. Já deu para entender que você não vai encontrar valores baixos tipo o nosso R$1,99 nesse país. Para você ter uma ideia, um copo de cerveja de 600 ml em um bar varia de 70 a 90 kr, algo em torno de 10 euros. Falarei mais sobre os preços noruegueses em outras oportunidades.

A terceira grande surpresa que tive neste meu primeiro contato com a Escandinávia foram as pessoas. Existe uma cultura de acreditar que os habitantes do extremo norte são frios (piadinhas a parte), distantes e, portanto, não receptivos aos turistas. Posso afirmar com total firmeza que esse pensamento está completamente errado. De todos os lugares que já conheci, foi lá que encontrei as pessoas mais educadas, simpáticas e dispostas a ajudar. A casa onde meu amigo morava era bem grande, e o andar dele era composto por ele, brasileiro, um sueco e sete noruegueses. Desde o primeiro dia fui muito bem recebida por todos, que falavam inglês (já que eu não falo norueguês, apesar de ter aprendido algumas palavras) sempre que eu estava por perto, só pra eu me sentir incluída. Fiquei doente e sozinha de molho em um dos dias, e um deles inclusive vinha checar de tempos em tempos se eu tinha melhorado, se oferecendo para buscar um remédio ou preparar algo para eu comer. Eu pensava que isso era porque eu era a “visita”, mas nos 13 dias que passei lá, inclusive conhecendo outras pessoas em outra cidade, percebi que era uma característica norueguesa. É claro que eles não são tão abertos e expansivos como os brasileiros, e dificilmente vão puxar assunto. Mas, se você der o primeiro passo, tenha certeza que acaba de ganhar um novo amigo.

Panorâmica da cidade de Bergen a partir da montanha Fløyen. Abr/15.
Panorâmica da cidade de Bergen a partir da montanha Fløyen. Abr/15.

Por fim, a maior surpresa que a Noruega me reservava era a paisagem. Como geóloga apaixonada pela natureza, posso dizer que foi ela que me conquistou de vez e fez um pedacinho do meu coração querer voltar sempre pra lá. Os noruegueses possuem uma cultura ao ar livre bem diferente da nossa, das pessoas que vivem nas grandes cidades brasileiras.

Mapa com as trilhas, separadas por tipo e dificuldade, disponíveis na montanha Fløyen, Bergen. Todas as trilhas possuem marcações, e mapas como este encontram-se espalhados pela região. Abr/15.
Mapa com as trilhas, separadas por tipo e dificuldade, disponíveis na montanha Fløyen, Bergen. Abr/15.

Mesmo as maiores cidades são cercadas por natureza: montanhas, fiordes e florestas. Na Noruega é permitido acampar com sua barraca em praticamente qualquer lugar. Além disso, diversas áreas de camping para trailers, bem sinalizadas e com diferentes níveis de conforto, existem espalhadas por todo o país. Lá, muitas pessoas são adeptas da corrida, tanto em trilhas nas montanhas como na cidade, mesmo durante o inverno rigoroso. É muito comum ver homens e mulheres, de todas as idades, correndo pela cidade ou na floresta com suas calças legging pretas. E, para aqueles que não são muito adeptos do esforço físico, existem ainda diversas opções de passeios mais tranquilos (de carro, trem ou barco), onde você pode curtir a estonteante paisagem sem derramar uma gota de suor.

Exemplo da vista que você pode ter se fizer um passeio de barco pela costa. Abr/15.
Exemplo da vista que você pode ter se fizer um passeio de barco pela costa. Abr/15.

Clima e como chegar

Já está convencido que esse país merece a sua visita? Ainda não? Pois vamos falar um pouco do clima. A Noruega encontra-se na mesma latitude que o Alasca, Groenlândia e Sibéria, porém seu clima é mais ameno devido à corrente do Golfo e correntes de ar quente.

Para aqueles que gostam do clima quente, o período entre junho e agosto é o mais quente no país, com temperaturas entre 25 e 30°C. Nesta época, os dias são mais longos nesta parte do globo, permitindo aos turistas aproveitar melhor o passeio. Nas cidades acima do círculo polar é possível inclusive ver o sol da meia noite. Atividades como caminhadas nos fiordes, a maioria dos cruzeiros turísticos, alguns tipos de pesca, esportes aquáticos e passeios a cavalo também só são possíveis nesta época. A temporada normalmente começa no início ou meio de maio, dependendo do clima. Vale lembrar que o clima é seco na maior parte do país, excluindo as áreas costeiras.

Vista da cidade de Tromsø, norte da Noruega. Apesar de sua latitude, o clima é amenizado pelas correntes costeiras. Dez/13.
Vista da cidade de Tromsø, norte da Noruega. Apesar de sua latitude, o clima é amenizado pelas correntes costeiras. Dez/13.

Agora, se você é como eu, que ama o frio, a neve e a baixa temporada, a época certa para a visita é do começo do inverno ao início da primavera, de novembro a maio aproximadamente, dependendo do local que você pretende visitar. No inverno, as temperaturas na região costeira ficam entre -3 e -12°C. Já no interior do continente, elas podem ir abaixo de incríveis -40°C. O auge do inverno é quando as chances de ver a aurora boreal aumentam, já que os dias têm apenas algumas horas de claridade. É também nesta época que outras atividades de inverno são possíveis, como pesca no gelo, esqui, caminhada nos glaciares, visita ao hotel de gelo e passeio de dogsledding.

Passeio de dogsledding no Tromsø Villmarkssenter, cidade de Tromsø. Dez/13.
Passeio de dogsledding no Tromsø Villmarkssenter, cidade de Tromsø. Dez/13.

Qualquer que seja a época do ano escolhida, a maneira mais fácil de se chegar a Noruega é de avião. Diversas companhias aéreas internacionais incluem o país, mas se você quiser apenas incluir este destino no seu roteiro europeu, recomendo dar uma olhada nas companhias SAS (linhas aéreas escandinavas) e Norwegian. Elas são o equivalente de low-cost no país, já que companhias como a Ryanair não incluem esta região. Pela minha experiência, a SAS é quase sempre a melhor opção, pois o preço da passagem inclui uma bagagem de porão de até 23kg (apesar de eu preferir viajar apenas com uma mochila, isso pode ser um fator decisivo para muitos), além da bagagem de mão, e para pessoas com menos de 26 anos existe uma tarifa reduzida Youth (só procurar a aba “book a youth flight” no site flysas.com). Para realizar a compra você pode fornecer um endereço europeu – como por exemplo o endereço do hotel que você se hospedou antes ou pedir o de um amigo que more por lá, como eu faço – e a cobrança será na moeda do país selecionado, ou você pode usar a opção “outros países” do site, que incluiria o Brasil.

Se interessou? Então te convido a ler os próximos posts sobre as cidades norueguesas que conheci e as maravilhosas experiências que tive nas terras geladas. Com certeza você também vai se apaixonar 🙂

Dúvidas ou sugestões? Escreva nos comentários!

Sobre Camila Viana

Começou a falar com seis meses de idade e não parou mais. Escolheu a geologia como profissão por não ser muito boa com pessoas e hoje, já mestra, ama falar sobre pedras enquanto viaja por aí. Meio maluca – de e por natureza – descobriu recentemente que a maioria das pessoas a definem como “muito animada”. Curiosa, quer ser doutora e, claro, viajar mais um pouco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *