Home » América do Sul » Brasil » Santa Catarina » O que fazer em Florianópolis: Praias e trilhas na terra prometida!

O que fazer em Florianópolis: Praias e trilhas na terra prometida!

Finalmente chegue a cidade de Florianópolis, última parada de toda essa viagem de férias pelo sul do Brasil. Já havia visitado a cidade em 2013 e dessa vez decidi ir para lugares diferentes dos que fui da outra vez.

Não viu os outros posts da série? Dá uma conferida:

A cidade sofre com o trânsito e fiquei bastante nos ônibus entre a rodoviária e a barra da lagoa, região excelente para se hospedar, com muitos hostels, trilhas, bares, restaurantes e principalmente moradores receptivos.

Cheguei em Florianópolis com uma noite estrelada e acordei com um daqueles dias ensolarados, e o destino só poderia ser um, PRAIA, PRAIA E PRAIA.

Hospedagem em Floripa

Me hospedei no backpackers hostel, localizado na região da barra da lagoa, lá existem diversos hostels com ótimos preços e excelentes praias nas redondezas como a praia da barra da lagoa e a praia mole.

Além disso, a maioria desses hostels conta com diversos viajantes, sendo incrível para fazer amizades para os rolês na cidade. Lá encontrei pessoas dos mais diversos lugares, conheci brasileiros de diversas partes do país, alemães, ingleses, argentinos, chilenos e holandeses, um ótimo mix de culturas e a conversa com toda essa gente bêbada, fica ainda melhor.

Outro ponto positivo dos hostels é que organizam saídas e festas para seus hóspedes e para os hóspedes dos demais hostels criando uma integração ainda maior.

Curtindo as praias e trilhas de Floripa

Barra da lagoa

A barra da lagoa conta com uma praia extensa, daquelas ótimas para quem gosta de caminhar tranquilamente por horas na beira do mar. Há muitos pescadores e locais nessa praia, super interessante para quem gostaria de conhecer mais sobre os hábitos locais.

Praia da barra da lagoa Praia da barra da lagoa

Campeche

A praia do Campeche é com certeza uma das mais bonitas e agradáveis da cidade. Em um dia quente é ótima para um mergulho, uma boa caminhada pela areia ou simplesmente para contemplar a vista com a ilha do Campeche no horizonte.

Ilha do Campeche

Praia do campeche

Ribeirão da ilha

Ribeirão da ilha tem uma vista incrível do sol no período da tarde, segundo quem já conhece a ilha, um dos mais bonitos lugares para se ver o pôr do sol. Passei por lá enquanto ia para a ponta ilha no meio da tarde e as imagens falam por si só.

Ribeirão da Ilha

Trilha de Naufragados

Hora de trilha, finalmente fui conhecer a trilha tão falada no fim da ilha de Florianópolis.

A trilha é incrível, bonita, cheia de pedras, rio, mata e com uma quantidade de pessoas não tão cheia, em alta temporada, a trilha deve ficar apertada. A dificuldade não é tão alta para pessoas que costumam caminhar ou praticar atividades físicas, porém os mais sedentários com certeza devem sofrer um pouco.

Início da Trilha de Naufragados
Início da Trilha de Naufragados
 Trilha de Naufragados
Trilha de Naufragados

Como choveu nos dias anteriores, a trilha estava cheia de lama e tornou o caminho um pouco mais escorregadio, por isso vá de tênis.A praia no fim da trilha vale o esforço com uma visão incrível do mar.

Lá existem vários pescadores oferecendo uma volta de barco, a dica é tentar negociar o valor pedido por eles. Como dificilmente ando de barco, não resisti acabei optando por essa opção.

Após ficar meia cansado de um trilha e só querer saber de cama, acordar com o tempo #maisoumenos, o que fazer? MAIS TRILHA!

Praia de Naufragados

Trilha Barra da lagoa para praia da Galheta

O dia meio frio torna até mais fácil de fazer uma trilha uma vez que você cansa menos. O que eu ouvi sobre trilha da barra da lagoa é que na parte mais alta há uma vista privilegiada.

A trilha não é difícil mas é uma baita subida, a duração em um ritmo agradável é de uma hora e meia. Havia muito mais lama nessa trilha por causa da chuva de dias anteriores, sendo que há várias pedras nela, a dificuldade acabou crescendo, o uso de tênis para essa trilha é imprescindível.

Da pedra mais alta da trilha
Da pedra mais alta da trilha

Do Alto da Trilha

Trilha da barra da lagoa
Trilha da barra da lagoa

E realmente a vista do alto, tanto para o lado da praia quanto para o lado da lagoa é perfeita.

Após completar a trilha cheguei a praia da galheta.

Praia da galheta

A praia de nudismo de Floripa estava as moscas com a virada de tempo. Os dois cantos da praia são cercados de pedras, ótimo para quem gosta de escaladas fáceis. Do lado direito há o acesso à praia mole, por trilha, ou pelo meio das pedras.

Praia da Galheta

Praia da Galheta

Praia mole

Eu optei pelo caminho das pedras, bonito e rápido. Uma das poucas praias abertas ao surf na temporada de pesca, o mar estava lotado de surfistas, pra surfar não tem tempo ruim. Conversei com algumas das pessoas, mais ao canto longe dos restaurantes e dos surfistas é bem calmo, ótimo para descansar da trilha e ficar de olho no horizonte pensando na vida, ou sem pensar em nada.

Praia Mole

Praia Mole

Na praia mole também há um mirante de onde é possível ver a lagoa, outra das belas vistas que podemos ver em Florianópolis

Mirante Praia Mole
Vista do Mirante

Quando sai da praia mole decidi caminha por cerca de 2 a 3km até a praia da Joaquina para escorregar pelas dunas 🙂

Joaquina

O caminho é pela rua e conta com uma pesada subida pela montanha, é possível ir com o ônibus de linha que sai da barra da lagoa até a parte do caminho e de lá andar cerca de 1km e meio, ou simplesmente pegar um segundo ônibus.

Antes de chegar a praia você já verá as dunas, e além delas,  a barraca de aluguel de pranchas para sandboard. É bastante difícil andar pelas dunas, além de bem diferente, já que não há dunas por todo canto aqui no Brasil. Se nunca fez, recomenda tentar brincar de sandboard, divirta-se enquanto escorrega, por que a subida de volta na areia fofa é bastante ingrata rs.

Dunas da Praia da Joaquina
Dunas da Praia da Joaquina
Praia da Joaquina
Praia da Joaquina

Dicas para Florianópolis

  • Antes de entrar em uma das plataformas do terminal de ônibus certifique-se que é a certa para não pagar uma condução à toa, no terminal central há 3 delas e é bastante confuso
  • No site da prefeitura é possível saber os horários de saída de todos os ônibus de seus pontos finais e funciona muito bem em 90% das vezes. Dessa forma você consegue programar-se usando o transporte público.
  • Monte caminhos em que você possa passar por duas ou três praias ao mesmo tempo caminhando para economizar
  • Existem restaurantes que os pratos são caros, porém generosos, por isso encontre pessoas para dividir
  • Vai para aeroporto? Verifique se haverá jogo no estádio do Avaí, o trânsito em torno do aeroporto fica impraticável antes e depois do jogo. Pegar um ônibus ou um taxi neste momento significará esperar horas dentro deles.
  • Programe-se para ver o pôr do sol no alto de uma trilha ou em uma praia, faz qualquer viagem valer muito mais
  • Se der, veja o nascer do sol também para ficar completo

Agora terminei a série de post sobre a minha viagem de férias pelo sul do Brasil, espero que tenham curtido as informações e inspirado-se para fazer sua próxima viagem.

Sobre Nilo Luz

Freelancer na área de marketing digital e apaixonado por viajar pelo Brasil e pelo mundo. Entusiasta em nomadismo digital, já morei na Austrália e conheci um canguru, já dei banho nos elefantes resgatados de maus tratos na Taiândia, comi massa e pizza na Itália e bebi vinho do porto em Portugal entre outras coisas durante minhas viagens, mas a mais importante é conhecer um pouco da cultura de cada local e outros viajantes, e aprender no processo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *